sábado, 13 de agosto de 2016

Autorretrato



Eu tenho um lado melhor do que o outro. O esquerdo é ligeiramente mais baixo que o direito. Coisa pouca. Um maldito meio centímetro me dessemelha assimetricamente e me deixa com um aspecto meio por cento bizarro. Como se isto não bastasse, entre as sobrancelhas desencontradas eu tenho vincos profundos que me fazem parecer maquiavélica e pronta para matar alguém.


Tento contornar esta desarmonia, inclinando levemente a cabeça. Faço isso quando caminho em locais públicos, quando me dirijo a alguém, quando me exponho frontalmente e não me resta outra opção. Afinal, não tenho como mudar os meus ossos de lugar. Na verdade, eu já me acostumei a andar retorcida. O pescoço dói um pouco. Fora isso é bem tranquilo.

A diferença é tão evidente que nas fotos em que meu rosto está reto e estou olhando diretamente para a câmera, eu pareço duas. É sério! O formato alongado de minhas feições, o queixo pronunciado e o nariz avantajado, não me favorecem.

Pensei agora algo inusitado: seriam os emos assimétricos? A ideia do franjão não é de todo ruim. Um esconderijo perfeito!

Tendo os antigos emocores como inspiração, deixei crescer uma franja, não muito grande, somente até a metade dos olhos; mas como os meus cabelos são volumosos, rebeldes e sem um caimento macio, o resultado foi desastroso. Óculos grandes também funcionariam, se eu gostasse de óculos grandes. Um chapéu com abas generosas ajudaria tremendamente. Inclinaria um pouquinho só a cabeça, para que a aba cobrisse o meu rosto quando eu julgasse necessário. Melhor ainda seria eu usar franja, óculos grandes e chapéus generosos. E o meu nariz, o que fazer com ele? E o meu queixo saliente? Não, não me digam para usar uma burka, porque senão eu vou rir e burka não é nem um pouco engraçado.

Pois então, desta dissonância facial resultou que adquiri estima por apenas um lado meu e uma verdadeira aversão pelo lado que se perdeu. Não vivemos felizes lado a lado. Tem outra cara na minha cara e não há nada que eu possa fazer a respeito.

Quando me olham, fico prestando atenção em qual lado escolhem para fixar o olhar. Sim, porque não dá para olhar direito para os dois olhos de uma pessoa ao mesmo tempo, não é mesmo? A não ser que a pessoa fique jogando pingue-pingue de um olho a outro enquanto me olha. Ráá!! Pois foi assim que eu descobri que o meu lado torto é o menos encarado.

É natural optarem pela visão alinhada porque ela causa menos desconforto. Entre o regular e o disforme, para onde escolheriam olhar por mais tempo? Embora a bizarrice cause curiosidade, a normalidade propicia uma sensação agradável. E conforto interno é como a beleza, faz bem aos sentidos. Concordam?

A verdade é que essa constatação me fez passar a analisar meticulosamente os olhares alheios. A maioria faz assim: encara o rosto cheio, olhando com os dois olhos ao mesmo tempo, depois escolhe o lado esquerdo ou o direito e se concentra nele. Podem prestar atenção e vão se surpreender. Claro, há os que miram outros pontos do corpo e param o olhar lá por algum tempo, depois vão subindo e estacionam na retina, ou desviam para a boca, para os vãos de tecidos, enfim, cada olho segue o que lhe dá apetite, ou repulsa, ou nenhum dos dois. A verdade é que relendo este parágrafo eu noto o quanto ele é irrelevante. Portanto, relevem.

O mais dramático é que o meu lado melhor também não se enquadra em nenhum padrão de beleza em voga. Pois é, quando me dizem que devo dar minha cara à tapa, rio e respondo: “vou dar sim, quem sabe ela melhora”. O mais dramático ainda do que o mais dramático é notar que poucos captam minhas ironias. E ironizar é bem a minha cara, podem crer! Só não venham me dizer que sou mulher de duas caras porque aí o tempo fecha e metáforas sairão voando pela janela.

Enquanto eu não me acostumar com o meu lado desigual, continuarei optando por fotos de um lado só.


Tenho de reconhecer que o meu outro lado me racha a cara de vergonha.


Dizem que temos de aprender a rir de nós mesmos, não
 nos levando tão a sério, pois esta foi a inspiração que usei 
ao criar esta crônica - brincar com a minha própria aparência.


13 comentários:

  1. Oh! Rosa, ironias à parte! Tenho a certeza que está sendo excessivamente severa e que só você nota essa assimetria, até porque todos somos assimétricos. Você é uma bela mulher, isso sim!
    beijo

    ResponderExcluir
  2. Rosa,tu és demais! Muito crítica contigo mesmo e não se vê nada disso! Te olha direitinho, com boa vontade!!! bjs, tudo de bom,chica

    ResponderExcluir
  3. Oi Rosa!
    Mas pode parar de achar defeitos onde não tem!
    Não vi nada!
    É a gente que tem essa mania de ficar encontrando defeitinho, e pensar que todo mundo vê.
    Você é tão bacana, e mesmo que fosse conde Drácula ainda assim as pessoas olharia a sua alma bonita!
    Olha bem pra você, a beleza tá ai!!
    Beijão Rosa, tudo de bom, e obrigada!
    Mariangela

    ResponderExcluir
  4. Oi, Rosa, quase todo mundo tem um lado do rosto diferente do outro...quando eu era criança adorava brincar de verificar isso nas fotos que encontrava e no meu mesmo também...um lado triste e outro mais alegra, um decidido , o outro deprimido...mas não se importe, porque ninguém repara e os dois lados convivem bem e quando nos olham não entram nos recortes e se sorrirmos enso que os dois lados da boca se levantam...ou não? (rs)
    Um abraço

    ResponderExcluir
  5. Oi Rosa
    Eu acho que você perdeu o espelho minha amiga
    Nada do que disse é verdade. Pequenas imperfeições todos temos e são elas que traduzem o nosso charme. Tu és bela e elegante. Vê se te olha direitinho
    Ah se eu fosse aqui falar de mim e dos meus contrastes. Daria um livro minha amiga
    Um feliz domingo
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Não vou nem dizer para qual lado olhei mais...
    ... e se de propósito tu enganaste na foto, e olhei para o lado errado? (Sim, porque hoje em dia, podemos "espelhar" a foto e nosso lado direito fica sendo o esquerdo).
    E quando tu falas do esquerdo, é o esquerdo que tu vês no espelho ou o esquerdo de quando te olhamos?
    Podemos montar uma terceira Rosa? e se eu olhar no meio e pegar um pouco de cada? Fica uma nova?
    .... sei lá.... gosto dessa que escreveu! Qual foi?

    ResponderExcluir
  7. Rosa,não creio que esteja falando sobre você!
    Vejo uma mulher sorridente,inteligente e com um carisma encantador.
    Não vejo defeito algum,talvez como diz a amiga Gracita,você perdeu o espelho.
    Menina,levanta essa auto estima e agradeça a Deus pelo dom maravilhoso de ser uma grande escritora.
    Bjs com carinho.
    Carmen Lúcia.

    ResponderExcluir
  8. Olá Rosa, brincar com a própria aparência é uma grata evolução do ser, que se desprende de padrões. O humor nos desprende e por certo assumimos uma aparência mais leve e assim mais atraente aos que nos cercam.E no fundo sabemos que nada disso nos pertence. Voce é bem humorada.E fique tranquila porque ninguém crê nestas irregularidades.
    Meu terno abraço de muita paz e uma boa semana.

    ResponderExcluir
  9. Oi Rosa, eu me acho linda quando me olho para trás e no espelho. Não sou fotogênica e daí? Não vou dormir com minha foto?
    Aos olhos de quem a ama, você é a mais linda mulher e o resto que vá tudo pro...
    Beijos
    inicontista2

    ResponderExcluir
  10. Desculpe, fiquei tão ansiosa que errei o nome.kkk
    Lua Singular

    ResponderExcluir
  11. Na foto está óptima.
    Tenha um boa semana

    ResponderExcluir
  12. rsrsrsssss...que espírito ótimo! Ri do começo ao fim de tanto que você se esculacha, e não vi nada disso!! Mas a boa cronista faz isso, tira texto de qualquer coisa e ainda exagera! Jamais temos um lado igual ao outro, mas deixando isso à parte, devo dizer que adorei, aliás, o Pedro já tinha me falado sobre seus textos! E acho o mesmo!
    Vá, amiga, crie mais umas dessas, achei fenomenal. Espirituosa no grau máximo...
    Beijos!

    ResponderExcluir
  13. Que texto fenomenal, Rosa!
    Mas não seja tão crítica consigo mesma... um sorriso, a nossa maneira de ser, de bem com a vida... apaga da memória, também dos outros, qualquer traço menos perfeito...
    E nunca ninguém é perfeito...
    Mas no fundo... o mais engraçado... é que grande parte de nós... tem mesmo duas caras... :-D :-D
    Há tempos vi num artigo de jornal...
    Tinham tirado fotos separadas, às duas metades do rosto, de uma serie de pessoas... e invertendo o resultado obtido para cada pessoa, e para cada metade do rosto... a conclusão, é que muitas pessoas... têm mesmo expressões diferentes do lado esquerdo e direito... e em alguns casos... nem as próprias pessoas se tinham apercebido de tais diferenças...
    E no artigo mostravam cada pessoa, no meio... de suas outras duas expressões, obtidas com cada uma das metades do rosto...
    E em alguns casos a diferença era incrível...
    Achei na altura o artigo interessantíssimo... e agora vi nas suas palavras, tal assunto, nesta abordagem maravilhosa, sincera e bem humorada...
    Algo que é mesmo mais comum do que pensamos... todos temos um lado que nos favorece um pouco mais...
    E no entanto, na foto... está óptima!!!!!
    Mais uma vez, um post, que me fascinou, e adorei ler!
    Beijinho! Tudo de bom! Feliz semana!
    Ana

    ResponderExcluir