quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016

In Sônia



— Acorda, Inácio! Acorda! — gritou, sacudindo o marido. 

— Está lá na garagem. Agora me deixa dormir, mulher! — respondeu Inácio, sem ao menos abrir os olhos.

Sônia teria dado boas risadas da confusão feita, mas não havia tempo para isso. Ahm, sempre ela a resolver os problemas da casa. Inácio? Quando mais precisava dele, se desligava do mundo e deixava tudo em suas costas. Ela provavelmente fora um carregador de pianos em outra encarnação.

Ah, os convidados chegariam dentro de algumas horas e tanta coisa ainda para fazer! "Mas que raio de homem ela arrumara!"

O cheiro de queimado vindo da cozinha tirou-a do devaneio e praticamente a fez voar até o fogão. Sônia tinha extrema habilidade para assuntos domésticos e em instantes dominou a situação. Minutos depois já estava arrumando a mesa e enfeitando-a com um belo vaso, recheado com lindas rosas, compradas na floricultura da esquina.

Olhou em volta. Deu uma conferida em cada canto e disparou para catar um par de meias sujas no chão, ao lado do sofá, perto de garrafas vazias de cerveja. "Inácio, você só me dá trabalho!"

O banheiro!!! Irão com certeza usá-lo e precisa estar impecável. Tudo deve estar limpo, arrumado, perfeito. "Ai de mim se encontrarem alguma sujeira!" Correu até o final do corredor, abriu a porta  do banheiro às pressas e munida de luvas, desinfetantes, panos e esponjas, iniciou uma faxina das boas.

Além de habilidosa, Sônia também fora agraciada com o dom da supervelocidade. Ágil, em menos de quinze minutos deixou o banheiro brilhante e perfumado. 

O almoço estava preparado. A casa em ordem. Tudo limpo e organizado. Ótimo!

Olhou o relógio, enquanto respirava fundo, recuperando o fôlego, depois do trabalho realizado. Chegariam logo, logo. E o marido ferrado no sono! Tinha que tirá-lo da cama. Ele precisava de um banho. "Ah, céus, vai sujar o banheiro limpinho!" Correu ao quarto para pegar toalhas limpas. Sacudiu o marido uma pá de vezes e nada do homem acordar. Então, lembrou-se da sobremesa esfriando em cima da mesa e em dois tempos chegou na cozinha para colocar o doce com urgência na geladeira. "Tudo sempre ela!"

"Calma, vai dar tudo certo, ainda restam alguns minutos."

Voltou ao quarto e sacudiu o marido outras tantas vezes.


*

— Acorda, acorda! — falou Inácio para a mulher.

Sônia acordou sentindo-se exausta. Fora um sonho! Um sonho! E os convidados iriam chegar em poucas horas. 

— Ohh, tenho tanta coisa pra fazer! 

Deu um pulo e voou da cama para "começar" tudo outra vez.


13 comentários:

  1. Que delícia de conto,Rosa! Valeu ler! bjs, tudo de bom,chica

    ResponderExcluir
  2. Me identifiquei com com Sônia...Abraço

    ResponderExcluir
  3. Olá,Rosa, boa noite, adorei...tenho sonhos assim. Em que eu possa dizer que fiz tudo o que queria e sem nenhuma ajuda de minha mulher. Um monte de afazeres e no final do dia , consigo me gabar sobre todas as coisas que consegui fazer...aí acordo, com minha mulher me sacudindo, pedindo ajuda. Ela sim,uma super-heroína, consegue equilibrar a família, os cuidados com a casa, saúde, filhos, marido, seu corpo , sua carreira e eventuais festas...e sempre conhecendo bem as prioridades ... não é Sônia,nem sonho,é a realidade!
    Agradeço pelo carinho, belos dias, beijos!

    ResponderExcluir
  4. OI ROSA!
    QUE TORTURA! MAS, DONA DE CASA É BEM ASSIM, TRABALHA ATÉ ENQUANTO DORME.
    MUITO LEGAL TEU CONTO, ADREI.
    ABRÇS
    -
    http://. zilanicelia.blogspotcom.br/

    ResponderExcluir
  5. Olá Rosa,um conto lindo de ler e ver o quanto somos importantes
    nos afazeres domésticos.
    Obrigada pela visita e comentário.
    Bjs-Carmen Lúcia.

    ResponderExcluir
  6. Fabuloso conto! Adorei.

    Passei por algo parecido essa semana. Trabalhei exaustivamente resolvendo um problema com meu blog. Depois acordei e tive que "começar" tudo de novo.

    ResponderExcluir
  7. Bom dia, Rosa. Eu já estava xingando o Inácio, oras!
    A mulher não precisa e nem deve fazer tudo sozinha, taref
    as têm de ser divididas.
    Não suportaria um homem folgado e desrespeitoso assim, ainda bem que foi um pesadelo!
    Tenha uma semana de paz.Amei!
    Beijos na alma.

    ResponderExcluir
  8. Bom dia, Rosa. Eu já estava xingando o Inácio, oras!
    A mulher não precisa e nem deve fazer tudo sozinha, taref
    as têm de ser divididas.
    Não suportaria um homem folgado e desrespeitoso assim, ainda bem que foi um pesadelo!
    Tenha uma semana de paz.Amei!
    Beijos na alma.

    ResponderExcluir
  9. Lindo Rosa.
    Vou me lambuzar co seu livro.
    minicomtista2

    ResponderExcluir
  10. Oi Rosa, adorei o conto.Eu acordo tarde, meu marido me acorda só para fazer o almoço. Tô dodói.
    Eu não sonho, tenho sim um sono pesado.
    Beijos
    Lua Singular

    ResponderExcluir
  11. - Acorda, Rosa, Acorda!!!! Conta mais...!!!!!!

    Conta mais pra gente!!!

    ResponderExcluir